Luxo e sustentabilidade, combinam?

MAIS AMOR, POR FAVOR!
19 de julho de 2019
Vasculhando o site da ANA_Agência Nacional de Águas
24 de julho de 2019
Mostrar todos

Luxo e sustentabilidade, combinam?

A fim de responder essa pergunta, a Moda Pela Água deu um zoom no mercado de luxo para ver como anda a questão da sustentabilidade nas altas esferas dos que não olham preço na hora de consumir.

Ficamos animados ao encontrar projetos direcionados para os conceitos sustentáveis entre grifes grandes e tradicionais. Além de descobrir negócios menores, mas igualmente comprometidos com a causa verde.

A verdade é que nem sempre são produtos adequados aos nossos bolsos, mas podem combinar perfeitamente com nossos ideais e agregar inspiração!

Listamos abaixo quatro iniciativas que chamaram a nossa atenção.

A CHOPARD é uma das marcas de joias e relógios mais antiga do mundo. Sediada em Genebra, a casa lançou recentemente o que chamou de “The Journey To Sustainable Luxury”. Ou seja, a jornada do luxo sustentável, em tradução livre. A Chopard define ouro “ético” como proveniente de pequenas minas que participam dos programas Fairminade e Fairtrade, da Swiss Better Gold Association (SBGA), cujo minério tem a certificação do Responsible Jewellery Council (RJC).

“Quando iniciamos o ‘The Journey To Sustainable Luxury’, criamos uma aliança estratégica com a Alliance for Responsible Mining (ARM), uma ONG que opera na América Latina em comunidades de mineração de pequena escala”, disse Lívia Firth, fundadora da Eco-Age, empresa que presta consultoria para a Chopard desde 2012.

 “Teria sido muito fácil para a Chopard apenas obter através deles as quantidades disponíveis de ouro com o certificado, mas a empresa foi além disso e realmente apoiou a ARM em trazer mais comunidades mineradoras para a certificação Fairmined. Isso significou que, ao longo dos anos, a quantidade de ouro ‘ético’ aumentou.”

Lívia afirma que a Chopard, continua empenhada em atingir as 17 metas delineadas pelos “Objetivos Globais para o Desenvolvimento Sustentável”, das Nações Unidas. E completa, levantando a questão do processo de fundição:

 “A fundição faz uma enorme diferença, pois acrescenta muito valor a um negócio sustentável. Fundir internamente também significa controlar totalmente o processo e reciclar seu próprio ouro”. *

*Fonte: Forbes.

A mesma matéria citada acima, menciona os esforços da MONTBLANC– outra marca tão estratosférica quanto a Chopard – para trabalhar suas malas, bolsas, canetas e outros objetos-do-desejo, com o que eles chamam de couro sustentável. Um item, sem dúvida, polêmico.

A Montblanc relata que todos os artigos em pele da grife, são criados em uma oficina intocada em Florença, a “Pelletteria”. Os artesãos ficam em longas mesas, ocupando o maior espaço na sala, e trabalham em vários elementos de diferentes artigos em couro da empresa. De um lado do espaço, os couros acabados são ordenadamente armazenados e categorizados. Isso inclui algumas peles exóticas, como avestruz e até mesmo o estômago de um elefante, que são para pedidos personalizados. Um representante da empresa garante que a pele vem de fontes sustentáveis. Com exceção dos exóticos, todo o couro é originário da Itália e são igualmente sustentáveis, disse ele.

A matéria da Revista Forbes, porém, deixa um alerta:

A verificação dessas declarações é um problema. Talvez o próximo passo na jornada para a sustentabilidade seja criar um sistema de verificação pública que não exponha os fornecedores e as operações comerciais das empresas.

As intenções parecem sinceras e os esforços reais, porém, vale acompanhar o que essas grandes grifes continuam entregando em termos de produtos adequados às práticas positivas da sustentabilidade.

Ainda dentro do aspecto polêmico do couro sustentável, encontramos outra inciativa de luxo extremo, mas advinda de um negócio bem menor. Estamos falando da LUC8K, uma pequena empresa suíça. Sua fundadora, Karen-Maria Olivo, uma veterana de artigos de luxo, diz acreditar nas metas globais da ONU para a sustentabilidade e que está construindo sua empresa de forma a atingir esses objetivos.

“Criamos produtos projetados para durar”, diz. “É o oposto de fast fashion. E tentamos não deixar um impacto ruim no meio ambiente. Sustentabilidade não é apenas um plug de marketing para nós.”

Grande parte do couro para todos os produtos LUC8K é originário do sul da França, uma área conhecida por produzir o produto com a melhor qualidade, nas condições mais sustentáveis ​​e com as certificações adequadas.

“Nós vamos no local, conhecemos as pessoas. Vemos tudo com nossos próprios olhos”, diz Karen-Maria. “A cautela é uma parte importante para obtermos nossos fornecedores.” E completa: “Uma mulher que compra de quatro a seis bolsas por ano não é quem acreditamos que comprará algo conosco. Nós realmente queremos que as pessoas invistam seu tempo. Todo o processo é emocional.”

E, finalmente, como exemplo de projetos que combinam luxo com sustentabilidade ou, melhor ainda, não dissociam um do outro, vamos destacar a GOODEE.

Uma plataforma de e-commerce organizada pelos irmãos gêmeos Dexter e Byron Peart. O site apresenta uma abordagem moderna para compras luxuosas e sustentáveis, orientadas pelo propósito e pela narrativa que envolve cada objeto.

De sabonetes a cobertores de caxemira, todos os produtos da plataforma, contam histórias que garantem impacto positivo de longo alcance.

Em entrevista para o trend report JWT Intelligence, Byron e Dexter discutem o futuro do mercado de luxo e sua ligação direta com sustentabilidade.

O que é o Goodee e no que a plataforma acredita?

Byron Peral:

“É um destino confiável para quem busca um estilo de vida que contempla bom design, atemporalidade e abordagem sustentável.”

“Acreditamos firmemente que as marcas do futuro estarão enraizadas no propósito. Há uma mudança acontecendo agora, em tempo real, sobre como o luxo é definido. Se anteriormente ele ficou embaixo da matriz preço e exclusividade, acreditamos que ele mudará para o eixo narrativas humanas e propósito.”

Um exemplo de marca representada pelo e-commerce dos irmãos é a EcoBirdy, que faz móveis para crianças utilizando o lixo descartado de brinquedos de plástico, como escorregadores e casinhas. Tudo o que é comercializado na Goodee tem uma história para contar, que envolve gente e respeito ambiental. E isso sim é puro luxo!

Visite a Goodee para descobrir muito mais.

 

Comentários

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

USE A SUA VOZ PARA PROVOCAR MUDANÇAS NA MODA!

Preencha o formulário e descubra como você pode ajudar a MODA a reduzir seu consumo de água!
Faça parte dessa causa!